Ligue e Assine: (48) 3265-0446

30/03/2016 | Tamanho da Letra A- A+

Coveiro de Canelinha reaproveita flores artificiais e decora cemitério

Ao chegar ao Cemitério Municipal de Canelinha já se percebe algumas mudanças. Entre a organização e limpeza está algo que chama a atenção. As flores artificiais, que antes iam para o lixo, agora fazem parte do embelezamento do lugar. O atual coveiro, Francisco Simas, 56 anos, o Chico Siripóca, reaproveita essas flores e faz cercas, num processo de reciclagem.

Chico, por mais de 20 anos trabalhou como pintor. A convite do prefeito Antônio da Silva, aceitou a troca de profissão. Ele conta que o pai, o avô e um irmão já trabalharam na função. “Meu pai, Luiz Simas, mais conhecido como Luiz Candinho, foi coveiro, em Canelinha por 35 anos”, relata.

Foto e texto: Cristiéle Borgonovo.

Confira a matéria completa na edição 533 do jornal Correio Catarinense de sexta-feira, 01.