Ligue e Assine: (48) 3265-0446

13/03/2018 | Tamanho da Letra A- A+

Município realiza mais de 600 cirurgias em seis meses

Dados foram divulgados pelo Secretário de Saúde no início do mês
 
Há pouco mais de um mês a vida da menina Yasmin de Souza Marian, 12 anos, mudou para melhor.  Moradora do bairro Carmelo, ela sofria de adenoide e após três anos conseguiu a cirurgia.A mãe dela, a sapateira, Miria, conta que a filha respirava com muita dificuldade, principalmente à noite.
A cirurgia, chamada de adenoidectomia, é uma opção quando o tratamento com remédios não funciona adequadamente ou quando a criança passa apresentar sintomas frequentes de adenoidite. As principais indicações para a cirurgia incluem: Otite ou sinusite de repetição; Perda auditiva; Apnéia do sono; Obstrução nasal tão grave que a criança só consegue respirar pela boca.
“Há três anos, depois de levar ela no Hospital, começamos os encaminhamentos pelo Sus, mas até então não dava certo e estranhei quando me chamaram no Posto de Saúde”, comentou a mãe.
O secretário de saúde, Ademir José Rover informa que a menina faz parte de uma lista de mais de 600 pessoas que foram atendidas com cirurgias diversas, de junho a dezembro, após a parceria com  o Instituto Vidas, de Timbó. 
Além de ser o responsável pelo Pronto Socorro 24h, o secretário descreve que o instituto faz atendimento de especialidades médicas,  exames e cirurgias de média complexidade, pelo mesmo custo que o Município tinha antes, mas atendendo mais pessoas sem que o paciente precise se deslocar para outras cidades. O Município repassa e investe em média no Hospital R$400 mil por mês.
 “Como afirma o prefeito Daniel Netto Cândido, estamos fazendo mais com o mesmo recurso, Estamos muitos felizes com a otimização dos serviços. Neste período foram feitos 1677 exames também”.
Ademir destaca que, no caso dos exames, a maioria é feita na Clínica do Povo, trazendo ainda mais benefício para o paciente que não precisa se deslocar. No caso das cirurgias, dependendo o caso são feitas no Hospital e Maternidade Oase, em Timbó. 
 
Sobre a parceria
Desde 2014 a administração trabalhava para efetivar a parceria, uma vez que a quantidade de cirurgias de média complexidade e exames que o Sistema Único de Saúde oferece não dava conta de atender a demanda do Município. O secretário de saúde ressalta que São João Batista é diferenciada por conta do crescimento expressivo, destaque no Estado, inclusive. “Estamos há vários anos entre as três cidades que mais crescem em Santa Catarina, isso reflete na saúde e educação especialmente”.
Rover exemplifica que no caso de exames como a Colonoscopia, o SUS oferece uma por mês, com o Vidas em 4 meses foram feitas 40.  “Só chegaríamos com os Sus, após 40 meses”.
 
“Muitas gavetas estão ficando vazias ou diminuíram consideravelmente, vamos seguir firme, trabalhado”, finaliza.